Corte de R$ 630 milhões do orçamento do Ministério da Ciência trará prejuízos para pesquisa no Brasil, aponta ministro

  • 13/10/2021

Corte de R$ 630 milhões do orçamento do Ministério da Ciência trará prejuízos para pesquisa no Brasil, aponta ministro

Por ordem do Ministério da Economia, um recurso destinado para pesquisa e ciência no Brasil será destinado para outros fins. O Congresso Nacional aprovou o remanejamento do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), recurso destinado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Aproximadamente R$ 630 milhões serão enviados para outros ministérios, como Saúde, Educação, Infraestrutura, Cidadania e outros. Este recurso seria primordial para a continuidade de pesquisas no país, inclusive relacionadas com a pandemia. O MCTI é responsável pela criação de vacinas nacionais, além de pesquisas de monitoramento do avanço da doença. A pasta coordena 27 unidades vinculadas que desenvolvem diversas pesquisas estratégicas para o crescimento nacional.O titular da pasta, Marcos Pontes, destacou, durante evento em São Paulo, a importância de recursos para a ciência. “Muitas vezes as pessoas perguntam para que serve ciência, tecnologia, afinal de contas, será que aquela coisa que o cientista fica fazendo dentro do laboratório, que ninguém sabe para o que serve, tem finalidade? Não. A ciência e a tecnologia está ao nosso redor, no dia a dia, é através da ciência e tecnologia que nós temos todos os confortos que a gente considera da vida atual. A economia do país depende da ciência, tecnologia e das inovações, e vai ser cada vez mais. Cada vez mais com as novas tecnologias, inteligência artificial, a vida vai ser ligada ao conhecimento. E um país que não tem ciência e tecnologia, é um país destinado a ser escravo dos outros que tem ciência, tecnologia e das inovações”, ressalta. Nos últimos anos a pasta da Ciência vem sofrendo diversos cortes no orçamento. De 2015 a 2021, o corte de verbas para o ministério foi de 58%. O ministro ressalta que o ministério precisa de dinheiro para dar continuidade aos trabalhos. “A gente precisa de pessoas competentes. Além disso, a gente precisa de infraestrutura de pesquisa e o Brasil tem uma infraestrutura de pesquisa muito grande e precisamos de orçamento. Precisamos ter um investimento na ciência e tecnologia, e tenho certeza, com o apoio do presidente Bolsonaro, ele gosta e apoia a ciência, nós vamos conseguir recuperar o orçamento do ministério e aumentar esse orçamento, porque através desse investimento que a gente vai construir o Brasil”, diz o ministro, afirmando que ciência e tecnologia é futuro e, também, o presente.Recentemente, a produção de radiofármacos, medicamentos utilizados para o tratamento de câncer no Brasil, teve a produção paralisada por conta da falta de recursos. Estes medicamentos são produzidos pelo Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. Quase 700 mil famílias foram afetadas pela falta dos radiofármacos.

FONTE: Por Luis Ricardo Machado

Rede de Notícias Regional /Brasília

Crédito da foto: Carolina Antunes/Agência Brasil


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes